Search
pt-bren

DIFERENÇAS CULTURAIS EM DIFERENTES REALIDADES

 

Nesta época do ano, nove anos atrás, eu estava começando meu último mês em um estágio em São Paulo e, lentamente, fazendo todos os ajustes necessários para dar o próximo passo: iniciar uma jornada completamente nova na Suíça. Deixei minha cidade natal e me mudei para Zurique em fevereiro de 2010. Ainda me lembro das despedidas, das incertezas e daquela coceguinha no estômago. Eu não sabia o que esperar. Fui para o exterior para começar a faculdade, seguindo o caminho da minha irmã mais velha, que também foi para a Suíça para estudar, mas não estava mais morando lá (após ter terminado os estudos ela mudou para Dubai).

Olhando para trás, apesar de todas as dificuldades ao longo do caminho, especialmente no primeiro ano de mudanças abruptas; morar sozinha em um novo país, uma nova cultura, começando a universidade, longe da família, iniciando uma nova vida sem uma data de validade ou qualquer intenção de voltar, posso dizer que foi a melhor decisão que tomei.

Agora, depois de viver quase oito anos em Zurique (e arredores) e um ano nos Estados Unidos (na Flórida e Nova York), é a primeira vez que volto ao Brasil para ficar mais de três semanas. Desta vez, será um total de três meses e meio.

Depois de todos esses anos morando sozinha, tendo construído novos hábitos no exterior, com novas pessoas, novos amigos e novas rotinas, é um pouco estranho estar de volta à minha cidade natal, morando novamente com meus pais e revendo conhecidos e amigos do passado.

As coisas mudaram… ou fui eu quem mudou? Sinto aquela sensação de ser um alienígena na cidade onde passei mais da metade da minha vida. Minha família e amigos tiram sarro de mim, pessoas em restaurantes ou lojas ficam confusas; percebem que me comporto de maneira diferente, mas falo português fluente.  Muitas vezes vezes tenho dificuldade de me expressar na minha língua materna devido às influências da língua alemã e americana (as línguas que mais uso na Suíça). Eu poderia começar a criar um dicionário com as palavras que costumo criar como resultado da combinação de idiomas. O mesmo acontece quando estou na Suíça, falando suíço alemão para me comunicar com os locais.

Passar mais tempo no Brasil me mostrou as fortes diferenças culturais que existem entre os países que fazem parte da minha vida, tanto nos aspectos sociais quanto econômicos.

Em São Paulo você precisa de um carro (seja ele próprio, Uber ou táxi) para se deslocar pela cidade (especialmente na região onde meus pais moram, que não há conexões com as linhas de metrô). Por conta da falta de segurança, é necessário estar sempre com os olhos abertos e prestando atenção. As diferenças entre as classes sociais são claramente evidentes no cotidiano da cidade. Refeições em restaurantes custam quase tanto quanto na Suíça, mas os salários um quarto (ou muito menos) quando comparados com os valores suíços. Não é por acaso que muitas pessoas (independentemente da classe social) optam por viver com os pais até seus 30 anos de idade. Na Suíça, os jovens deixam a casa dos pais logo depois do colegial e passam a morar em apartamentos compartilhados / repúblicas, com amigos ou estranhos (existem diferentes plataformas onde se pode achar quartos para alugar). Após alguns anos, alugam seus próprios apartamentos ou começam a compartilhá-los com seus parceiros.

Isso me leva a mencionar também as diferenças nos laços familiares … Pela minha experiência, os cidadãos suíços são muito mais independentes de suas famílias e tendem a viver suas próprias realidades, enquanto os brasileiros costumam ser mais ligados aos valores e as tradições da família. O que talvez também explique os casamentos “precoces” na cultura brasileira… Acredito que a vida de casados começa muito mais cedo no Brasil do que na Suíça. Tenho a sensação de que os suíços são mais independentes, decorrente de uma cultura individualista, enquanto os brasileiros preferem estabelecer laços e rotular relacionamentos, gerando mais estabilidade.

Estou fazendo falsas suposições? Qual é a sua opinião sobre o assunto? Quais comparações ou observações você já fez com pessoas que conheceu ao longo do caminho ou ao viajar para o exterior? Você acha que também existem diferenças dentro dos países ou que essas teorias poderiam ser aplicadas de uma forma geral a uma cultura?

0.Comments

    Leave a Comment